5157 Paulo Alexandre Tormenta Pinto (Presidente)

(Lisboa, 1970)

Licenciado em arquitectura pela Universidade Lusíada de Lisboa, em 1993, realizou o mestrado ‘La Cultura de Metropolis’ na Universidade Politécnica da Catalunha em 1996 e concluiu o Doutoramento na mesma universidade, em 2004. Em 2015, com base no seu trabalho de professor, realizou a Provas de Agregação no ISCTE-IUL.

É Professor da área disciplinar de Arquitectura (projecto), desde 1997. Iniciou a actividade docente na Universidade Lusíada de Lisboa, onde leccionou entre 1997 e 2007, primeiro como Assistente e depois como Professor Auxiliar. Desde 2006, é Professor Auxiliar do Departamento de Arquitectura e Urbanismo do ISCTE-IUL, tendo exercido o cargo de Presidente desse Departamento (2007-2010). Actualmente dirige o programa de doutoramento ‘Arquitectura dos Territórios Metropolitanos Contemporâneos’ e o ‘Mestrado Integrado em Arquitectura’.

É sócio da empresa Domitianus-Arquitectura Lda (desde 2005), tendo iniciado a sua actividade de modo liberal em 1994. Foi arquitecto do Departamento de Construção de Habitação da Câmara Municipal de Lisboa (1994-2000), realizando projectos no âmbito da habitação social. O seu trabalho foi várias vezes distinguido, tendo recebido: o Prémio IHRU 2012 e Habitar Portugal 2012-2015 para a reabilitação do espaço público do Bairro do Lagarteiro, Porto (7,7ha); Menção Honrosa Prémio IHRU 2012 para a reabilitação da casa da Rua Humberto de Sousa - 42, Montijo; Habitar Portugal 2009-2011 com a Reabilitação das Capelas Mortuárias da Igreja de Santos-o-Velho, Lisboa; e o Prémio INH-2002 para o conjunto de 91 fogos e equipamentos no Calhariz de Benfica em Lisboa.

Foi presidente do Conselho de Admissão Regional do Sul da Ordem dos Arquitectos entre 2014 e 2015, tendo sido também vogal desse Conselho entre 1998 e 2000.

Os seus trabalhos de investigação e de projecto têm sido publicados em edições nacionais e internacionais, destacando-se o livro ‘Cassiano Branco (1897-1970) – Arquitectura e Artifício’ publicado pela Caleidoscópio em 2007 e 2015.